Artigos e Mídia

Carta Mensal JF TRUST – Março de 2021

12/04/2021

A volatilidade foi acentuada nos mercados de renda fixa e variável em março, com mudanças significativas nas perspectivas dos ativos nos finais de 2021 e 2022, em particular. No mercado acionário, o Ibovespa obteve uma valorização de 6% em março, ressaltando que a despeito da deterioração do ambiente político e do número de casos e de mortes pela Covid-19 no Brasil, apresentou um dos melhores desempenhos na renda variável comparativamente aos principais mercados globais (O S&P 500 obteve alta de 4,24% em março).

A volatilidade na Bolsa brasileira sofreu também o contágio da divergência do cenário entre o mercado e o Federal Reserve referente ao cenário dos estímulos monetários e da tese da inflação temporária. De fato, a aceleração do crescimento econômico e dos empregos dos EUA sustentaram um viés positivo e a normalização dos rendimentos (yields) dos títulos norteamericanos (treasuries).

Avaliamos com probabilidade crescente de que o Federal Reserve poderá sinalizar até o final deste ano, um ajuste no programa de flexibilização quantitativa, que passaria pela redução do ritmo de compra de títulos as revisões sistemáticas semanais para cima da inflação no Brasil provocaram mudanças bruscas na previsão dos níveis da taxa básica de juros ao longo dos próximos meses na curva curta, mas também na curva longa dos contratos futuros dos depósitos interfinanceiros (DI), pela elevação dos riscos fiscais com a aprovação de um orçamento desfigurado com alta expressiva de emendas e a incerteza do risco do descumprimento do teto dos gastos públicos.

Dólar seguiu pressionado, com câmbio superior à R$ 5,6/USS Desde a crise financeira de 2008, não se verificou uma crise tão profunda como a da “pandemia do Covid-19” que provocou um contexto de aversão ao risco acentuado no mercado financeiro global e da atividade econômica. As economias de uma forma geral, responderam com expansão dos gastos públicos, expansão da liquidez via compra de títulos e cortes nas taxas de juros e impostos, ampliação do crédito dos programas sociais de transferência de renda, ou seja, adotaram políticas monetárias e fiscais anticíclicas para amenizar, suavizar o ritmo de queda do PIB. Essas ações rápidas permitiram a redução dos prêmios de risco nas economias emergentes.

O ciclo de recuperação do crescimento econômico global tem sido desigual entre as economias. Economias menos desenvolvidas e/ou com processos mais lentos de vacinação estão crescendo em ritmo mais moderado. Em suma, diferente da crise de 2008, que foi fundamentalmente uma crise financeira e teve uma recuperação rápida em 2009 e 2010, desta vez a situação é bem diferente, sobretudo no Brasil, que tem espaço mais limitado de prolongar estímulos fiscais pelo tamanho do déficit público. Com o espaço limitado da política fiscal, os Bancos Centrais utilizaram políticas monetárias flexíveis, aumentando o peso de suas políticas para ajudar na recuperação, o que aumentou o peso do papel da política monetária. Isso levanta a questão até quando Carta Mensal JF TRUST – Março de 2021 www.jftrust.com.br a autoridade monetária pode sustentar um juro reduzido ou então fazer uma “normalização parcial” da taxa de juros, sem provocar uma alta da inflação que comprometa o regime de metas.

Nesse sentido, uma visão comum é que, mesmo com uma taxa de câmbio flexível, a política monetária nos mercados emergentes tem pouca autonomia frente a um poderoso ciclo financeiro global dominado pelos Bancos Centrais das economias avançadas. O fato é que no sistema de câmbio flexível no mercado emergente, como o Brasil, não possui um descolamento perfeito e sofre contágio, a despeito da dinâmica dos fundamentos domésticos.

No âmbito doméstico, as pressões inflacionárias devem ser amenizadas, com desaceleração dos preços das commodities sobre os preços do atacado e os Índices Grais de Preços, com transmissão gradual para o IPCA. A inflação oficial (IPCA) acumulada em doze meses, seguirá acima do teto da meta, pelo menos até junho, mas sua tendência é de redução no segundo semestre.

Acesse o documento completo.





Como Investir
CVM
Banco Central do Brasil
Anbima
JF Trust - Gestão de Recursos
Av. Ataulfo de Paiva, 517, sl. 303
Leblon, CEP: 22440-032 - Rio de Janeiro - RJ
Tel/Fax: +55 (21) 3507-0604 | 3576-1348